Sem dúvida, o Teatro Municipal de São Paulo, cuja foto abaixo foi tirada aproximadamente em 1954, é um dos grandes ícones desta maravilhosa e portentosa cidade. Situado na Pça Ramos de Azevedo, teve a sua restauração interna concluída em 1989 e a externa em 1991, começo a ser erguido em 1903, conforme projeto de Ramos de Azevedo, em um estilo aproximado do barroco seiscentista, com elementos de art nouveau e rebuscada decoração. Foi inaugurado em 1911 pela companhia de ópera de Titta Ruffo e, desde então, grandes artistas nacionais e internacionais se apresentaram em seu palco. Como exemplo podemos citar: a bailarina norte-americana Isadora Duncan (1916), a bailarina russa Ana Pavlowa (1919), os extraordinários tenores italianos Enrico Caruso (1917), Beniamino Gigli (1921) e Tito Schipa.
Quando o assunto é São Paulo, tudo parece soar de maneira grandiosa, gigantesca, incomensurável; poderíamos citar inúmeros e incontáveis exemplos, porém, para elucidar este nosso espaço, escolhemos duas citações da Vejinha on-line, seção Mistérios da Cidade,  muito interessantes:

Quantos pneus são consumidos por ano na capital?
Para equiparem os 4,3 milhões de automóveis existentes na cidade, as 989 lojas especializadas comercializaram quase 2,7 milhões de pneus novos somente no ano passado. Se fossem emparelhados, eles formariam uma fila de 1.620 quilômetros de extensão, o equivalente à distância entre São Paulo e Cuiabá, capital de Mato Grosso.

 

Quais são os telefones públicos mais usados pelos paulistanos?
Os orelhões do Terminal Rodoviário do Tietê, por onde passam 66 000 viajantes diariamente, são os campeões de ligações entre os 104.000 existentes na cidade. Em cada um dos 103 telefones públicos instalados na maior rodoviária da América Latina são completados, mensalmente, 27.000 minutos de conversação. Sabe o que isso significa? Quinze horas de blablablá ininterruptas todos os dias

Quanto aos bairros ,  todos mereceriam da nossa parte uma menção, uma nota por menor que fosse, enaltecendo a importância de cada um deles para a cidade de São Paulo ; todavia, elegemos um, o histórico bairro do Ipiranga, como um legitimo paradigma para ilustrar e enriquecer esta reportagem.

O bairro do Ipiranga, pelas circunstancias, com certeza é um dos mais populares e conhecidos do Brasil; O principal fato histórico ocorrido no bairro do Ipiranga foi a Proclamação da Independência do Brasil, em 7 de Setembro de 1822, por Dom Pedro I, às margens do Ribeirão Ipiranga. Quem não ouviu, cantou, se emocionou com o Hino Nacional brasileiro, cuja primeira estrofe leva o nome da região a toda a nação?

Hino Nacional Brasileiro
Autor: Joaquim Osório Duque Estrada
Música: Francisco Manuel da Silva

I
Ouviram do Ipiranga às margens plácidas 
De um povo heróico o brado retumbante, 
E o sol da liberdade, em raios fúlgidos, 
Brilhou no céu da Pátria nesse instante. 

 

A avenida Nazaré guarda patrimônio histórico, religioso e social

O maior corredor cultural do bairro e, com certeza, um dos mais importantes de São Paulo tem nome: avenida Nazaré.

A avenida Nazaré é uma continuação da Praça do Monumento, local em que esta o Parque da Independência e o próprio Museu Paulista; nela se concentram três escolas superiores, o Museu de Zoologia e o Arquivo da Cúria Diocesana. Provavelmente, com essa concentração privilegiada de informações, faz com que a avenida Nazaré seja uma das mais ricas em tradição e cultura.

Além da arquitetura neoclássica dos prédios centenários, a avenida caracteriza-se pela vocação em bem cuidar dos seres humanos, com ênfase no famoso Instituto Padre Chico, dedicado aos deficientes visuais.

Um fato bastante curioso, em que pese a tradição da igreja católica nas imediações, a avenida Nazaré recebeu este nome por um motivo nada a ver com fundamentos religiosos. Mediante um decreto publicado em 9 de agosto de 1916, uma quarta feira, o então prefeito Washington Luis P. de Sousa, deu nome para uma série de ruas do bairro com denominações em dobro, em contra partida com outros locais da cidade.

Originalmente a avenida chamava-se rua Asylo de Orphams; pelo decreto retro mencionado, o nome passou a ser avenida Nazareth, com outras vinte ruas do bairro ganhando outros nomes.

Consta dos anais, que a troca do nome foi em homenagem ao forte Nazaré, no Cabo de Santo Agostinho, em Pernambuco, local em que o Brasil resistiu ao cerco holandês até julho de 1635, data em que os militares brasileiros se entregaram.

 

A "ARCA" DO IPIRANGA

 

Poucos sabem, porém, um dos maiores orgulhos dos moradores do bairro do Ipiranga é possuir um Museu Zoológico, que aplicando um pouco de humor, faria Noé enrubescer de vergonha. Com um acervo fabuloso, mais de sete milhões de espécimes, bem ao lado do Museu Paulista ou do Ipiranga, como é popularmente conhecido, na avenida Nazaré, localiza-se a maior referência científica da América Latina referente ao processo evolutivo dos animais.

Consta que o acervo do Museu teve o seu início com uma reduzida coleção particular do Major Sertório que instituiu a Comissão Geográfica e Geológica de São Paulo. 

 

JARDINS FRANCESES DO PARQUE DA INDEPENDÊNCIA

 

Os jardins originais em torno do Museu Paulista, alocados entre 1908 e 1909, foram projetados pelo paisagista belga Arsenius Puttemans e reproduzem características paisagísticas inspiradas nos jardins barrocos franceses, como os de Versailles.

No ano de 1922, houve uma ampliação desse projeto em aproximadamente 1.500 metros quadrados de jardins, atingindo o início da avenida D. Pedro I; na década de 30, os jardins sofrem outras intervenções, sendo a principal, o chamado rebaixamento da área em frente à fachada principal do prédio.

O conjunto de espetáculo de água e fontes (hoje em reformas) foi construído entre os anos de 1906 a 1909. Em 1970, por ocasião do sesquicentenário da Independência, instalou-se equipamento aquático de imagem e som.

Posteriormente, o órgão estadual de preservação do patrimônio histórico, denomina "Parque da Independência"ao conjunto que engloba o Museu, Casa do Grito, Monumento, Jardins Franceses, alamedas e demais áreas verdes.

 

 

UM DOS MAIORES CENTROS DE INFORMAÇÃO RELIGIOSA E HISTÓRICA DE SÃO PAULO

 

Em plena avenida Nazaré, mais de dois quilômetros de registros guardados em dois prédios,originários do Arquivo da Cúria Metropolitana de São Paulo,  preservam a história da Igreja Católica da cidade; esse acervo incomensurável proporciona a oportunidade rara do eventual pesquisador conhecer as origens familiares, no Brasil ou no exterior.

Antes do Ipiranga, o arquivo criado em 1918 por Dom Duarte Leopoldo e Silva , Primeiro Arcebispo Metropolitano de São Paulo, em 01 de abril de 1918. Até o início da década de 70, estava alocado na rua Santa Tereza, no centro da cidade. Posteriormente, com o início das obras do Metrô, temporariamente foi transferido para a praça Clóvis Beviláqua. Finalmente, em 1984 foi totalmente transferido para o Ipiranga.

O prédio  da avenida Nazaré, 993 , funciona como um verdadeiro cartório central da Igreja em São Paulo; o acervo é impressionante:

· Oito milhões de registros de batizados (1640 a 2002);
· Quatro milhões de registros de casamentos (1632 a 2002);
· Trezentos mil registros de óbitos (1686 a 1889);
· Milhões de informações localizadas em livros manuscritos de entidades diversas (associações, bispos, cúria metropolitana, irmandades, paróquias, seminários, entre outras) (1686 a 1950);
· Duzentos e cinqüenta mil processos manuscritos de 1640 a 1920, destacando: abjurações e profissões de fé, autos cíveis, crimes, divórcio, esponsais, habilitação de genere et moribus (ordenações presbiterais), oratórios particulares, processos de casamento e dispensas matrimoniais, processo de padres estrangeiros, e testamentos;
· Novecentos pastas de documentação avulsa de paróquias do Estado de São Paulo, Sul de Minas Gerais, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul;
· Partituras Musicais (século XVIII e XIX);
· Fotografias, cerca de 26.000, desde 1871;
· Jornais católicos encadernados (1899 a 2002);
· Plantas e projetos arquitetônicos (cerca de 3.000);
· Filmes cinematográficos e fitas VHS.
Obs.: dados aproximados.

Um fator importante a se considerar é que , antes do período republicano, a Igreja fazia às vezes dos cartórios, ou seja, era responsável pelos registros civis, pois no chamado regime de padroado era um departamento do Estado e os padres eram funcionários públicos.

Outro aspecto muito importante a ser considerado são os processos criminais antigos. O Brasil possuía dois sistemas de Justiça: civil e a eclesiástica. Por exemplo, concubinato, sacrilégio e as consideradas feitiçarias eram considerados crimes eclesiásticos.

Atividades

 

Setor de Expediente:
- Buscas e fornecimento de certidões para diversos fins (casamento, cidadania, etc...);
- Averbação da notificação matrimonial à margem do registro de batismo dos nubentes;
- Realização de processos de retificação de registros (erros de grafia ou adoção).

Setor de Pesquisa:
- Atendimento e realização de pesquisas para entidades da Arquidiocese de São Paulo (Mitra Arquidiocesana, Paróquias e Seminários) bem como para usuários externos para diversos tipos de pesquisas, destacando:
- Cidadanias (italiana, portuguesa, espanhola, etc...);
- Acadêmicas em diversas áreas: Antropologia, Arqueologia, Arquitetura, Ciências da Religião, Ciências Sociais, Direito, História, Jornalismo, Letras, Música, Teologia e Turismo;
- Genealogias;
- Histórico de entidades (associações, capelas, irmandades, paróquias, seminários, congregações religiosas, entre outras);
- História de bairros e municípios;
- Biografias de sacerdotes e bispos;
- Processos de beatificação.

Atendimento:

Período: 2a a 6a feira
Horário: 13h às 16h30
Endereço: Av. Nazaré, 993
Ipiranga
04263-100 São Paulo-SP
Contatos: Jair ou Roberto (Pesquisa)
Thereza ou Estela (Expediente)
Telefones: (0XX11) 69146715 – Chefia
(0XX11) 2723644 / 2723726
Fax: (0XX11) 2723612
E-mail: [email protected]

 

Fonte: http://www.arquidiocese-sp.org.br/

 

Ao encerrarmos esta página, em estilo almanaque, o "Pridie Kalendas" pergunta! No ano de 1954, por ocasião do Quarto Centenário da Cidade de São Paulo,um jornal tradicional,  na época ainda em atividade, completava 100 anos de existência. Você saberia dizer dizer qual era?

Com exclusividade absoluta, o nosso site disponibiliza uma imagem publicitária do evento em epígrafe devidamente esclarecedora

 


Voltar  Continua